Celebração à memória e ao legado de Ricardo Nohra Simões em 2023



Em celebração à memória e o legado de Ricardo Nohra Simões, relembramos o momento da posse, no qual ele assume o compromisso com a Justiça, de forma física e espiritual, cumprindo a sua missão devotada para a construção de uma sociedade com mais equidade e justiça em prol de um mundo melhor e de uma humanidade mais feliz.

Vamos começar as homenagens com relato de Olavo, amigo de Ricardo que compartilhou conosco um relato sensível entre Dona Helena, avó de Ricardo e o neto.


Além disso, Olavo foi muito gentil ao fazer a ponte entre os amigos que conseguiu entrar em contato para auxiliar na construção dessa homenagem.
Gratidão ao Olavo!

Dona Helena segurando Ricardo no aniversário de 2 anos.

Dona Helena segurando o neto na festa de dois anos do Ricardo

                                       Dona Helena e Ricardo na casa de Nohra em Niterói.

Às sextas feiras dona Helena costumava visitar e encontrar o Ricardo na SUSEP, chegando próximo ao final do expediente, para depois seguirem juntos para a casa do neto.

Ela ficava aguardando os últimos despachos do Ricardo, sentada numa mesa bem próxima à do neto.

Entre uma tarefa e outra o Ricardo conversava com a avó. Os dois se divertiam com os comentários do Ricardo sobre as perguntas da dona Helena, muito curiosa e espirituosa.

A cumplicidade entre os dois era notável bem como o carinho do Ricardo com a avó

Tenho boas lembranças destes momentos pois a alegria dos dois era contagiante e divertido após uma semana de muito trabalho.

Dona Helena e Ricardo na casa de Regina Nohra em Niterói

Agora, vamos compartilhar o relato emocionante de Amanda Nohra, filha de Ricardo.

Ricardo em sua casa com Amandinha, em Itaípu, Niterói. 

Eu ainda estranho o churrasco que não tem tanto sal quanto o seu. 

Eu ainda escuto as suas músicas. Eu ainda deixo cair algumas lágrimas toda vez que toca Cazuza. 

Eu ainda leio suas mensagens e rio das mesmas piadas. 

Eu ainda implico com você dentro da minha cabeça e te conto mil coisas que você amaria saber. 

Eu ainda como camarão e milho lembrando de como você se lambuzava fazendo isso. 

Eu ainda deito na sua cama e rio do buraco que vc fez, de tão gordão que você era. 

Eu ainda falo pro Heart que já já você chega, e ele fica feliz. 

Eu ainda repito as suas piadas como se fossem minhas, e as pessoas riem disso

Ricardo em sua casa com seu companheiro Heart, em Itaípu, Niterói

Eu ainda uso suas blusas pra tudo que eu faço. Eu ainda imito a sua letra e escrevo o seu nome mil vezes no meu caderno. Eu ainda lembro de você toda manhã, toda tarde e toda noite. 

Ricardo e Amanda em um momento de descontração

Eu ainda repito pra mim mesma as suas broncas, pq ninguém vai fazer isso igual. 

Eu ainda te dou boa noite todo dia. Eu ainda escuto música no último volume de manhã só pra sua mania não morrer. 

Eu ainda olho pro céu e imagino como as coisas tão sendo pra você ai. 

Eu ainda seguro o choro toda vez que algo me lembra você, porque eu sei o quanto te dói me ver chorando. 

Eu ainda esqueço por alguns segundos que eu te perdi, e esse é sempre o ponto alto do meu dia. 

Eu ainda quero ler minhas redações pra você, pra você falar o quão prolixa eu sou e morrer de rir de mim, prometo não ficar brava mais.

Eu ainda escuto country mesmo que todo mundo odeie, éramos nos dois sempre ouvindo, sobrou só eu papai. 

Eu ainda implico com todo mundo que tem muito dinheiro, só pq você me ensinou que minha realidade não é essa. 

Eu ainda lembro de passar filtro solar na sua careca sempre que tá muito sol. 

Eu ainda lembro as esfirras que você pedia quando a gente saia, e o quanto eu odiava aquele tomate seco com rúcula. 

Eu ainda imito sua barriga pulando quando você ria, pra ver se mata minha saudade daquela gargalhada envergonhada.

E eu ainda espero ansiosamente o dia que eu vou te encontrar, te abraçar, e poder te amar mais uma vez, pra sempre. 

Me desculpa ser egoísta e não deixar você ir. 


Amanda e Ricardo na sua posse em Brasília

Dando continuidade aos depoimentos, gostaríamos de compartilhar  um depoimento especial, de Dr. Luiz Fernando Soares, amigo de Ricardo que juntos compartilharam dois ambientes de trabalho, a ANS e a SUSEP.



Aos familiares e amigos do Dr.  RICARDO NOHRA 

Em plena primavera, dia 12 de outubro, (ecoou na eternidade o nome do Dr. Ricardo Nohra. 

Peço desculpas, mas considero que escrever um único parágrafo sobre o Ricardo não será um tributo á sua memória. 

Convivi com o Ricardo na Agência Nacional de Saúde, onde pude perceber que foram os seus conhecimentos contábeis, econômicos e jurídicos que projetaram a Autarquia no melhor cenário onde hoje se encontra. 

Servidor aguerrido, chefe insuperável, dotado de um humor farto, que estrategicamente usava como contrapeso a um temperamento   forte, indubitavelmente foi o personagem que considero “o meu tipo inesquecível”. 

Comemoramos entre nós sua ascensão à magistratura em Bacabal.  Maranhão bem que poderia ser logo ali, de modo que pudéssemos visitá-lo de chinelos. 

Mas apesar da distância, alguns de nós mantinha contato com ele. Isto serviu para apertar ainda mais os laços da amizade, porque o que extingue o afeto não é distância, mas o silêncio. Quando ultrapassou o limiar da eternidade ouvi de alguns: “perdemos o Nohra”. 

Jamais concordei. Só perdemos o que não sabemos onde está. Minha fé me ajuda a sustentar essa afirmativa. A passagem de alguém é uma ferida que não sangra, mas não fecha. 

Rogo a Deus que a promessa de Jesus, (independentemente da fé que professem) console   a todos: “Quando Eu for levantado da terra, atrairei a mim todas as pessoas” (Jo. 12-32).

SALAAM ALEIKUM

Em 23 de setembro de 2023
Luiz Fernando Soares 



Agora, vamos compartilhar um depoimento de Luiz Sasaki, um amigo querido que trabalhou com Ricardo na Susep.

Quando recebi o pedido da dona Regina para contar um pouco sobre a atuação do Ricardo na Susep, minha primeira lembrança foi a camaradagem com que ele tratava os amigos e colegas e as inúmeras ocasiões em que pude testemunhar a preocupação do Ricardo em ajudar os amigos e também os colegas do trabalho, que já havia relatado em um texto passado.


Também não poderia deixar de repetir o que já relatei algumas vezes sobre a sua trajetória profissional, do engenheiro químico que em dois ou três anos se tornou a maior autoridade em contabilidade de seguros no Brasil e de sua participação como protagonista de grandes transformações na regulação e na supervisão de seguros promovidas pela Susep e pela ANS.


Livro em comemoração aos 50 anos da Susep

 
“A SUSEP rende homenagem especial à memória de todos aqueles tripulantes que fizeram parte dessa viagem e que, além da contribuição para o desenvolvimento da autarquia, deixaram saudade.
 
Para representar esse sentimento, registramos o recente falecimento do colega Ricardo Nohra Simões (1964 – 2017), que, nos quase 23 anos em que trabalhou na autarquia, contribuiu de forma decisiva para o desenvolvimento da supervisão do mercado de seguros, tendo participado de projetos importantes como o da reformulação do FIP, elaboração do Boletim Estatístico, da implantação da supervisão baseada em riscos, da criação do plano de regularização de solvência, dentre outros." 
 
LUIZ SASAKI


Inúmeras vezes recorri ao Ricardo para esclarecer questões sobre diversos temas. Sempre com a certeza de que teria o retorno no tempo em que precisava. 

Em algumas vezes, apesar de me considerar satisfeito com o retorno recebido do Ricardo, acabava convencido por ele a me aprofundar ainda mais sobre os assuntos. 

Muitas vezes entramos em debates com opiniões contrárias, mas sempre buscando a melhor solução possível. 

Vez ou outra parecia até briga (rsrsrs), mas sempre tudo terminava com um “valeu brother” dito por ele.  


O reconhecimento de sua atuação, das ideias que teve e dos projetos que concluiu foi materializado no livro “Uma viagem através do tempo”, editado pela Susep em 2017, com a justa homenagem:


Continuando as homenagens, com o Analista, Mauro Podcameni colega de Ricardo na ANS.



Corria o mês de outubro de 2001, a Federação Unimed de Minas

organizou um encontro para as suas afiliadas em Ouro Preto.

Quatro representantes da ANS foram convidados para

participarem do evento. 

Três como ouvintes e um como palestrante. 

Eu era um dos ouvintes e o Nohra era o palestrante. 

Sua apresentação ocorreu com o brilhantismo de sempre e ao

final a Federação da Unimed de Minas Gerais ofereceu para ele,

como palestrante uma belíssima cesta de iguarias algo parecido

 com uma cesta de natal. 

Ao receber tal oferenda ele fez aquela cara que só Ricardo Nohra sabe fazer. 

Sabe aquele olho virado com a cabeça inclinada a 45º? 

Eu que estava na plateia comentei com meu colega - Vai dar m**. 

Mas até que ele se segurou e apenas agradeceu muito e disse que

era um servidor público e que se sentia imensamente honrado,

mas que aquele presente estava acima dos limites legais e ele não

poderia recebê-lo e insistiu em devolvê-lo. 


Apesar da insistência dos médicos da Federação sua vontade

 acabou prevalecendo e ele devolveu o presente. Fica então a

 lição: 

Precisamos de mais servidores públicos com a ética de Ricardo

Nohra.

O Brasil seria muito melhor se todos nós servidores e ex-

servidores públicos praticássemos a ética de Ricardo Nohra.

Que saudades que eu tenho de Ricardo Nohra. 

Que honra foi privar de sua amizade. 


Mauro Podcameni SET/2023.

Agora, daremos prosseguindo com o depoimento amistoso de

Adriana Moraes, amiga de Ricardo que o acompanhou durante

sua jornada para o concurso de juiz federal. 




Hoje é dia de saudade, mas também de agradecer a benção de ter

um amigo como Ricardo Norha.

 

Ricardo é incrível. Um homem forte, disciplinado. Íntegro. 

Um homem de família.

 

O pai exemplar para sua linda amada Amanda.

 

Um filho companheiro e amado. Ricardo sempre falava de vocês.

 

Hoje a saudade é imensa. Revivo o triste 12 de outubro de 2017.

Inimaginável entender a partida tão precoce do meu amigo.

 

Ricardo passou pela minha vida deixando grandes ensinamentos.

Tanto na caminhada pela vida, quanto na caminhada profissional.

 

Sua presença é marcante na vida de todos que o conheciam.

 

Um amigo irmão que a vida me deu.

 

Fico imaginando Deus planejando este encontro de almas entre

mim, Ricardo, Carpe e André. Uma amizade que vale ouro.

 

Gratidão meu amigo por tanto ensinamento.

 

Te admiro muito. Saudades!




Rogéria Guida, amiga de Ricardo que com seu curso de Oratória foi uma ponte para que ele se preparasse para tornar-se juiz federal, enviou uma homenagem.

 


Ricardo Nohra, amigo e juiz federal para sempre!

Ricardo Nohra, amigo e juiz federal para sempre!

Ricardo sempre demonstrou humildade, disciplina, objetivo

definido e busca de conhecimento.

Veio treinar na Oratória Rogéria Guida para a prova oral e

sempre se destacava pelo sentimento de humanidade e pela 

defesa constante do que considerava justo.

Sua passagem pela Oratória foi um trajeto de muita luta,

dedicação e de construção de grandes amizades. Alcançou a

aprovação e por perseverança e mérito se tornou Juiz Federal.

Todos vibramos por sua realização e fizemos parte dessa

caminhada.

Mas nada ocorre por acaso. Muitas respostas ainda estão por vir.

As conquistas são eternas. O caminho continua por ramificações

diversas, algumas somos testemunhas e outras, ainda vamos

descobrindo. A nossa história continua e certamente a dele

também. Vamos caminhando com a memória e com os frutos

colhidos por onde Ricardo passou. Desvendando horizontes

desconhecidos e aprendendo a desenvolver percepções mais sutis.


Quantos mundos e dimensões existem e quantos podemos

acessar?

A comunicação existe em várias dimensões. 

Em algum lugar sei que o seu conhecimento continua. 

Em algum lugar, sei que recebe o nosso afeto e gratidão como

troca do que nos deixou.


Com afeto,

Sua eterna amiga Rogéria Guida



Compartilhamos com vocês os momentos de intervalos entre o

trabalho e o estudo, quando Ricardo sempre que possível

 dedicava aos lazer com Heart e Malia.


Juntamente com Amanda desfrutavam de momentos incríveis,

lindos e aconchegantes, de descontração e relaxamento:

“AGORA VAI!”




Heart e Malia aguardando o Ricardo para um dos inúmeros momentos de lazer





Como uma forma de reflexão, deixamos o poema de Vinicius

de Moraes que metaforicamente pode nos levar a pensar

sobre os diferentes formas de separação...




Gostaríamos de continuar a celebração de vida e obra de

Ricardo, com o depoimento de sua mãe Regina Nohra.
Nohra e Ricardo em momentos de celebração: Na foto 1, a posse em Brasília e na foto 2, na formatura do Instituto Militar de engenharia - IME no Rio de Janeiro 

Hoje, quero falar de um homem especial que me orgulho e me

enaltece por ter sido sua mãe.

Meu filho Ricardo, um pai, neto, filho, amigo e juiz que partiu

para a verdadeira pátria espiritual no dia 12 de outubro,

deixando saudades em todos aqueles que tiveram o privilégio de conhecer e conviver com ele.

Ele deixou um legado de justiça, família e fé.

Equidade era a palavra de ordem na vida de Ricardo. 

Com sua sabedoria e imparcialidade, ele dedicou sua carreira em

busca da verdade e do equilíbrio, sempre com um olhar atento às

necessidades daqueles que recorriam à sua jurisdição.

Sua integridade e ética eram admiráveis e serviam como

exemplo para todos que o rodeavam.

Mas Ricardo não era apenas um juiz brilhante, era também um homem de família. 

Sua dedicação à esposa, filha e demais entes queridos era notável.

Sempre presente e participativo, ele sabia que o verdadeiro valor da vida estava nas relações que cultivamos com aqueles que amamos. 

 

Foto no aniversário de 2 anos de Ricardo: Edgar seu pai, Vô José e Regina Nohra, mãe de Ricardo

Ricardo, seu avô José e Nohra sua mãe no Rio de Janeiro

Percebo que Ricardo repetia um padrão de comportamento de

seu avó José Yussef, permanecendo ao lado dos amigos sempre

que precisavam, buscando juntos resolver as necessidades.




Ricardo e seu pai Edgar

E do pai Edgar que era um médico sempre voltado para o cuidado da saúde de seus pacientes, com um olhar permanentemente para a população carente...  

Fazendo-se presente, independentemente de ser dia ou noite. Sempre se colocava de uma forma acolhedora e amorosa buscando suavizar a dor e o sofrimento...  

Levando uma palavra de apoio: Tudo vai ficar bem! Sua permanente presença aos amigos e familiares, eram constante. Família era o seu ancoradouro seguro!
Edgar e Ricardo na formatura do Instituto Militar de Engenharia- IME

Através de suas ações, Ricardo deixava transparecer essa herança dos seus antepassados, de benevolência, acolhimento e

 amorosidade ao próximo.


Sua família era seu porto seguro, seu refúgio de paz e amor.


A fé também pulsava forte no coração de Ricardo. 

Sua espiritualidade era uma fonte de inspiração e força, guiando-o em todas as decisões que tomava. 

Ele acreditava que a justiça divina sempre prevaleceria e que cada um de nós é responsável por semear o bem no mundo.


Frente aos impasses da vida, lembro-me das suas palavras:


“A verdade tem força, mãe. 

Ela pode demorar mais uma hora aparece!”


Ricardo se foi, mas seu exemplo permanecerá em nossos corações. 

Sua dedicação à justiça, o amor incondicional pela família,

amigos e a todos que participaram de sua vida e a fé inabalável

são lições que jamais esqueceremos. 

Que a sua partida meu filho seja apenas um até breve.

Regina Nohra, mãe de Ricardo. 






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Biografia

Ricardo em família